18 de jun de 2010

Os Incompreendidos (1959)


Foi a forma com que foi filmado e editado que torna "Os Incompreendidos" tão poderoso e belo. A estréia do diretor François Truffaut foi um marco do cinema autoral, inaugurando uma nova era cinematográfica. Ele criou um trabalho magnífico e nos dá uma mostra perfeita de como a vida pode ser recriada em filme.

Truffaut acabou como um dos principais contribuintes para a Nouvelle Vague e sempre será lembrado como um dos maiores diretores da França. Ele canalizou sua própria experiência neste primeiro filme. Na história, o jovem Antoine Doinel (Jean-Pierre Léaud) vive em um apartamento minúsculo com a mãe e o padrasto.

Antoine (alter-ego de Truffaut) mata a aula seguidamente com seu amigo e adora ir ao cinema. Ele não é um desordeiro, é azarado. Suas travessuras, pelo menos no início do filme, não são diferentes daquelas de seus colegas de escola - exceto que ele é sempre pego e punido. Ainda assim, muitas das infrações de Antoine são pequenas.

A vida em casa não é muito melhor. Sua mãe Gilberte (Claire Maurier), que deu à luz após uma gravidez indesejada, passa tanto tempo longe de casa, quanto ela pode. Quando ela está com seu filho, tem dificuldade em controlar a sua impaciência com ele. Seu padrasto Julien (Albert Rémy) às vezes é simpático e sociável, mas, em outras ocasiões, ele é temperamental e mal-humorado.

Antoine se torna um delinqüente e rouba uma máquina de escrever, mas é pego quando ingenuamente tenta devolvê-la. Ele é mandado para o reformatório, de onde foge para a inesquecível cena final quando 
encontra o mar (foto ao lado). A abordagem de Truffaut apresenta Antoine com todos os seus defeitos e fraquezas. A cena em que ele fala com o psicólogo é singular porque nunca ouvimos a pergunta. É como se Antoine estivesse falando diretamente para a câmera.

A carreira cinematográfica de François Truffaut é marcada por confusões. Era conhecido como o "enfant terrible" da crítica e foi impedido de assistir ao Festival de Cannes de 1958. Mas retornou triunfante em 1959, "Os Incompreendidos" rendeu-lhe homenagens como Melhor Diretor no festival e ainda recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Roteiro.

O jeito de Truffaut fazer cinema é lembrado tanto pelo estilo como temática e em ambos os casos pela mobilidade da câmera, bem como o uso do mundo real e não estúdio como cenário.

Os Incompreendidos (Les Quatre Cents Coups, 1959)
Diretor: François Truffaut
Roteiro: François Truffaut e Marcel Moussy
Elenco: Jean-Pierre Léaud, Claire Maurier, Albert Rémy, Guy Decomble, Patrick Auffay

Trailer legendado em inglês:

2 Comentários:

Marcelo A. disse...

Cara, o final desse filme, o Antoine na praia, aquele olhar que ele dá pra câmera... Putz, man, não me sai da cabeça!

Não conhecia o seu blog e pelo que vi até agora, me deixou encantado... Adoro cinema e especialmente, cinemão da antiga... Você tem uma boa lista aqui - de comédia romântica a nouvelle vague. Vou perder um bom tempo lendo...

Te seguindo, falou?

Abração!

Marcelo
www.marcelo-antunes.blogspot.com
www.umoscarpormes.blogspot.com

Adriano Pereira disse...

vlw cara.
Só uma correção, lendo meu blog vc não vai perder tempo hehehe
Abraço

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO