7 de mai de 2010

Luzes da Cidade (1931)

Começarei este blog com posts de filmes antigos, iniciando pelos anos 30, onde acontece uma grande mudança. O cinema mudo, que no momento está no auge, acaba após a chegada dos filmes sonoros. Durante essa década um gênio se destaca entre todos os cineastas, seu nome: Charles Chaplin.


Nessa época, ele já é famoso em Hollywood e os filmes sonoros já começam a se popularizar. Mesmo assim, Chaplin continua no cinema mudo e realiza "Luzes da Cidade" onde Carlitos, o personagem vagabundo de Chaplin, conhece uma vendedora de flores cega que o confunde com um homem rico.

Apaixonado pela beleza da moça, faz de tudo para conseguir dinheiro que ajude ela a enxergar novamente. Assim, sucedem-se cenas engraçadas onde ele se mete até em uma luta de boxe, uma cena antológica e engraçadíssima que só Chaplin poderia realizar.

Posteriormente, ele impede um milionário bêbado de suicidar-se e, devido ao seu ato heroico, tornam-se grandes amigos. Porém, quando fica sóbrio ele não se lembra mais do vagabundo nem do que ocorreu enquanto estava bêbado.

O filme, além de bem recebido pela crítica e pelo público, também foi aclamado por diretores, como Orson Welles, Stanley Kubrick, Federico Fellini, Woody Allen, integrando a lista dos 10 melhores de alguns deles e teve uma das mais brilhantes estreias do cinema. Em Los Angeles, um dos convidados de Chaplin era Albert Einstein, enquanto em Londres, Bernard Shaw sentou ao seu lado na primeira exibição do filme.


Luzes da Cidade (City Lights, 1931)
Direção: Charles Chaplin
Roteiro: Charles Chaplin
Elenco: Charles Chaplin, Virginia Cherrill e Harry Myers

1 Comentário:

Adriano Pereira disse...

este foi meu primeiro post do blog.

Postar um comentário

<<

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO